terça-feira, 23 de novembro de 2010

VIVÊNCIAS NA ROÇA * NOITE !


VIVÊNCIAS NA ROÇA * NOITE (Sergio de Carvalho) 23/11/2010

Nos primeiros anos de vida no sitio, quando nele fui morar em 1980, não havia luz elétrica, nem telefone (internet e celular então nem pensar !).
Imediatamente quando a noite baixava o seu manto, acendia o lampião a querosene ou alguma vela para iluminar a casa.
Nada de televisão ou computador ligados....(será que alguém atualmente na cidade consegue viver ou imaginar-se sem essas coisas ?).
Antes da formação da comunidade alternativa e da afluência dos amigos, experimentei momentos totalmente eremiticos na montanha, cheguei a passar algumas noites sem ninguém para conversar.
Nestas ocasiões, os passatempos noturnos eram basicamente os mesmos e direcionados para a criação artistica, para uma boa leitura, para os prazeres do paladar e para a contemplação das maravilhas da floresta seja da janela do meu quarto ou diretamente ao ar livre.
Munido de criativa simplicidade adentrava a cozinha para um gostoso e nutritivo lanchinho bem natural.
Chá de capim limão ou alguma outra erva medicinal preparado no tradicional e rústico fogão a lenha.
Pão integral, frutas e mel produzidos no próprio sitio faziam a minha alegria gastronômica.
Feliz e satisfeito com o modesto banquete, começava então admirar aquele céu coalhado de estrelas.
A sensação era de êxtase transcendental. A mente viajava longe fitando o infinito !
As noites de lua cheia eram as preferidas, onde a mata ficava literalmente toda prateada e tão exposta pela luminosidade intensa, que conseguia ver e ouvir os animais silvestres eufóricos perambulando pelos caminhos ou em cima das arvores.
A ausência de barulhos urbanos era total.
A sinfonia da floresta reinava absoluta, com seus incontáveis cânticos, pios, chiados, assovios, estalidos e muitos outros barulhos estranhos típicos daquela natureza encantada.
E por falar em encantos, lembro de um mistério que ainda hoje acontece nas montanhas de Vargem Grande.
Trata-se de um fenômeno que os matutos (possuidores de uma imaginação fertilíssima), chamam de “Mãe do Ouro”, que segundo eles vem a ser uma espécie de bola de fogo que aparece principalmente na beira dos caminhos, riachos e cachoeiras ou mesmo no interior da floresta e até na copa das arvores... os relatos são muitos principalmente entre os tais nativos e moradores da roça.
Confesso que nunca me deparei com a tal “Mãe do Ouro”, porem certa vez cheguei a testemunhar junto com alguns amigos da cidade, um fato intrigante. Era um domingo por volta das 7 da noite, voltávamos de um Congresso de Apicultura no Riocentro, e como chovia torrencialmente, o Jeep não conseguiu subir a estrada íngreme e escorregadia do sitio, o jeito fui subirmos a montanha a pé.
Já bem próximos do nosso destino, eis que derrepente notamos uma luz bem forte e sem oscilações, tipo um farol de carro, brilhando imóvel no alto da mata. Paramos todos para ficar ali estupefatos olhando e especulando sobre a origem daquela luz, sem uma resposta racional convincente. Após uns 5 minutos reflexivos e já ensopados pelo temporal, resolvemos seguir em frente, sem qualquer pista ou conclusão sobre o significado daquele enigma, a não ser lembrarmos do velho Shakespeare quando afirmou: “Existem mais mistérios entre o céu e a terra do que possa supor a nossa vã filosofia”.
Recebi também algumas vezes no sitio, grupos de estudos e pesquisas ufológicas que em vigília ficavam na varanda em frente a casa, durante toda noite olhando para o céu, na esperança de flagrarem algum habitante desconhecido passeando pelo Cosmos com sua Espaçonave...certa vez altas horas da madrugada, até bateram na janela do meu quarto me chamando para ver a aparição de um suposto OVNI...minha resposta foi imediata:
Me deixem dormir, não quero saber desse negocio de disco voador, que amanhã preciso levantar cedo para cortar capim e cuidar das cabras e da horta!!!!
O fato é que não me ligava muito nos aspectos sobrenaturais da noite na floresta, ao invés de discos voadores, fadas, gnomos, fantasmas e seres do folclore tupiniquim, preferia a poesia e inspiração que a noite proporcionava.
Assim motivado aproveitava para tocar meu violão, compor e escrever letras de musicas ou simplesmente ficar ali apreciando o pisca-pisca dos incansáveis e graciosos vagalumes e tentando adivinhar qual criatura estaria produzindo tal ou qual sonoridade oriunda daquela exuberante mata atlântica.
O que alias, após anos de atentas observações, me fez conhecer e identificar com exatidão o som de gambás, corujas, morcegos, sapos, pererecas, grilos, bacuraus, guaxinins, jaguatiricas e várias outras criaturas que assim como eu elegeram a floresta como lar e palco para se apresentar.
...e a saga ainda continua !

quarta-feira, 10 de novembro de 2010


VIVÊNCIAS NA ROÇA (Sergio de Carvalho)

Meados dos anos 80, são 5 da matina no Sitio Sagrado Coração de Jesus em plena Mata Atlântica bem no alto de uma montanha chamada de Toca Grande na região de Vargem Grande, zona oeste do Rio de Janeiro.
O galo cantou, anunciando o dia nascente com o resplendor do sol a despontar no horizonte por traz das montanhas. Levanto abro a janela do quarto e volto a ficar deitado mais um pouco na cama, apreciando o festival de luzes e belas imagens de uma paisagem exuberante tal como num quadro de Van Gogh , bem ali diante de meu olhar embevecido.
Após esta inspiradora contemplação matutina do astro rei acendendo com sua luz o colorido da floresta, tomo um banho frio para espantar o resto de sono, como alguma fruta com cereal integral , coloco as roupas surradas da minha lida diária na roça, calço a tradicional bota de borracha e ferramentas em punho caminho em direção ao dever que me chama no campo.
Começo as atividades do dia pelo Capril, levando o capim cortado e a ração para alimentar os animais e depois lentamente ir fazendo a ordenha das cabras, um trabalho que exige muita higiene e paciência, por se tratar de um produto delicado proveniente de um animal por natureza bastante irrequieto. Com o recipiente cheio volto para casa para coar, pasteurizar e ensacar o leite que será destinado basicamente a mães aflitas que não puderam amamentar e que possuem filhos recém-nascidos alérgicos ao leite de vaca ...alias, comecei a criação de cabras leiteiras, justamente em função do Francisco meu filho que desde 1 ano de idade precisou e foi alimentado por um bom tempo com o leite a principio de uma única cabrinha que recebia tratamento vip, com direito a capim fresquinho, bananas, farelo de trigo, soja, milho, água da fonte e muito espaço para correr.
Logo vieram outras cabras e a criação foi crescendo até virar um empreendimento modestamente lucrativo. A indústria de laticínios ainda nem cogitava a fabricação do leite de cabra em pó e sua venda em Supermercados, o que estimulava e favorecia a produção artesanal tipo"fundo de quintal" como a nossa.
Como naqueles tempos ainda não havia energia elétrica lá no alto da montanha, o resfriamento dos laticínios era feito através de uma geladeira (presente da minha saudosa mãe) movida a gás de cozinha, que funcionava perfeitamente .
Para ajudar no processo de melhorias no sitio, meu irmão Carlos, instalou um gerador a gasolina que abastecia a casa inteira nos momentos que era acionado especialmente a noite, porem com inconveniente da poluição causada pelo barulho e fumaça...logo esse método foi descartado. Depois ele “inventou” um recurso tecnológico mais barato e ecologicamente correto com uma roda movida a água da nascente que descia da serra, a qual alimentava um alternador de carro ligado a uma bateria que nos fornecia luz elétrica de 12 volts, o suficiente para acender lâmpadas e alguns pequenos eletrodomésticos adaptados para tal.
Ainda no frescor daquelas manhãs ensolaradas, a hortinha ao lado da casa, começava também a ser regada e tratada. As ervas daninhas eram arrancadas com cuidado enquanto a terra ia sendo afofada e adubada com composto orgânico que iria nutrir dezenas de mudinhas de alface , couve, cenoura, cebolinha, nabo, rabanete, tomate e o que mais se pudesse cultivar naqueles poucos canteiros cercados com pedras.
A área da roça era bem maior e o trabalho também bem mais pesado e cansativo, pois exigia roçadas e capinas constantes para controlar o mato que crescia mais rápido que o milho, abóbora feijão e a mandioca plantadas no mesmo local.
Em área isolada e protegida ficava o apiário, esta sim a atividade mais importante economicamente desenvolvida no sitio. Mel, Própolis, Cêra...tudo que as abelhas produziam era rapidamente consumido por uma clientela fiel e ávida por aqueles produtos.
Ganhei muitas e dolorosas ferroadas, mas ainda assim compensava e era gratificante, pois alem do puríssimo, nutritivo, saudável e saboroso mel , as abelhas faziam o incansável trabalho de polinização das plantas, o que aumentava sensivelmente a produção de frutas na região....a saga continua nos próximos capítulos !

terça-feira, 9 de novembro de 2010

VERDADE


VERDADE (Sergio de Carvalho ) 8/11/2010

Quero verdade na minha vida!
Quero ser apenas o que sou
Sem jogos nem farsas
Não quero fingir para dissimular
Não quero usar mascaras de ocasião
Não quero a hipocrisia da conveniência tendenciosa
Não quero uma vida de rótulos enganosos
Não quero viver de mentirinha!
Quero verdade na minha vida!
Não quero estar em situações que me afastem de mim mesmo!
Não quero violentar minha consciência falando o que não penso
Nem quero contrariar meu coração expressando o que não sinto
Quero verdade na minha vida!
Não quero fazer nada sem afinidade com meu jeito de ser
Não quero ouvir nem tocar musicas que não tenham a ver comigo!
Não quero comer sem ter fome nem beber sem ter sede
Não quero usar roupas que eu não me sinta bem
Não quero trabalhar no que não gosto
Não quero andar por caminhos que me desviam da meta
Não quero o beijo traidor de Judas nas armadilhas do mundo
Quero amizades sinceras e repartir o pão com quem precisa
Quero estar no meio de animais, plantas e pessoas afins
Quero caminhar ao lado de quem me quer integralmente
Quero romance, cumplicidade e só amor na minha vida!
Quero poder usar meu livre arbítrio para fazer as escolhas certas
Quero ter discernimento apurado para filtrar com sabedoria o que deixo entrar na minha vida.
Quero cultivar valores que acrescentem luz no meu caminho.

E na convivência por entre tantas verdades individuais
Quero saber respeitar com paciência, tolerância e compreensão outras verdades diferentes das minhas.

Mesmo querendo e não querendo tanta coisa no meu universo particular
Espero também mergulhar fundo na verdadeira verdade que liberta
Procurando conhecer a suprema vontade do Criador
e ser feliz com o que Deus quiser de mim!

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

FRUTOS SAGRADOS



FRUTOS SAGRADOS (Sergio de Carvalho) 30/10/2010

Deus disse:
“Eis que vos dou toda erva que dá semente sobre a terra, e todas as arvores frutíferas que contem em si mesmas a sua semente, para que vos sirvais de alimento” (Gênesis 1- 29).

O texto bíblico aponta para o extraordinário e saudável alimento oferecido pela mãe natureza : As frutas !
Delas se alimentam uma infinidade de criaturas: Aves, mamíferos, insetos, peixes e os mais diversos povos, raças e nações ao redor do planeta.
A natureza é tão providencial que disponibilizou este sagrado alimento praticamente em todas as regiões do Globo, cada qual com sua espécie nativa inerente ou cultivada por métodos agrícolas cada vez mais sofisticados.
A maior variedade encontra-se em climas tropicais:
Regiões quentes: banana, abacate, manga, goiaba, abacaxi, mamão, caju, carambola, laranja, tangerina, maracujá, melancia, pitanga, sapoti, jaca, jambo, jenipapo, etc.
Regiões frias: uva, pêra, maça, morango, ameixa, damasco, pêssego, figo, caqui , cereja, lichia, romã , etc.
Só para citar algumas das mais conhecidas.
As frutas são um dos poucos e raros alimentos naturais que já vem pronto da fonte, dispensam o uso do fogo, panelas e receitas mirabolantes para o seu preparo e consumo.
Consumir frutas é uma atitude simples, pratica, ecológica e higienica!
Para o seu uso, não é necessario derramentos de sangue, nem aplicar sofrimento,dor ou provocar a morte do ser vivo que as produz para servir-nos de alimento.
Se o fruto maduro não for colhido, no caso das arvores, a própria planta encarrega-se de jogá-lo ao chão para saciar a fome dos que não conseguem alcançá-lo diretamente como os pássaros.
Tanto a medicina holística como a convencional, convergem em suas orientações terapêuticas ao estimular o consumo de frutas como fonte de saúde e bem estar.
Manancial de vitaminas e sais minerais as frutas contribuem para o bom funcionamento de todos os órgãos do corpo.
Tanto atletas como pessoas de vida sedentária, delas obtém os mais auspiciosos benefícios através do seu consumo diário, mantendo a saúde, purificando o sangue, vitalizando os músculos, clareando a mente, fortificando organismos debilitados e proporcionando curas impressionantes .
Saudáveis, saborosas, cheirosas, coloridas e lindas, as frutas encontram-se na energia da bondade e da não violência. Recomendadas em diversas praticas espirituais , são sempre exaltadas por grandes místicos e pacifistas da humanidade, como uma das formas mais sutis e de acordo com os princípios divinos para se nutrir o corpo físico.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Revolucionarios!


REVOLUCIONÁRIOS (Sergio de Carvalho) 23/09/2010

Sempre admirei os revolucionários do bem.
Sempre me interessei por ideologias e personagens que com sua ousadia desafiaram a mediocridade vigente acomodada em seus próprios limites.
Criaturas questionadoras que com suas idéias, criatividade e atitudes estimulam a evolução humana.
Com sua fé, conhecimento e arte influenciaram gerações e mudaram os cursos da história.
Sacudiram o planeta sem pegar em armas !
Saúdo aquelas pessoas que mesmo em condições adversas, caminham sem esmorecer pelas tortuosas trilhas do mundo.
Não poupam esforços para vencerem a si próprias em tudo aquilo que precisam lapidar para crescer, cientes de que a única transformação verdadeira e eficiente é a de dentro para fora.
Combatem a inércia e a mentalidade derrotista com pensamentos positivos.
Detonam o conformismo com muita ação e vontade de vencer.
Enfrentando criticas e os julgamentos alheios com a sabedoria da humildade e o poder do amor.
Seres humanos diferenciados, batalhadores destemidos, rompendo barreiras,quebrando grilhões, voando acima dos inumeros preconceitos que ainda cegam a humanidade !
Sempre em busca de uma razão maior para a qual lutar e viver.
Mártires da liberdade, autênticos, raros e especiais !
Incompreendidos e muitas das vezes perseguidos e condenados apenas por apresentarem-se diferentes da maioria !
Homens e mulheres de boa vontade, almas inquietas peregrinas da luz.
A todos estes missionarios da paz e do amor toda gratidão e solidariedade !

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Momentos


MOMENTOS (Sergio de Carvalho) 21/09/2010
A vida é uma sucessão de atos e fatos
E assim como é impossível banhar-se nas mesmas águas de um rio
Nossos momentos na vida não se repetem jamais.
Quantas vezes ainda ouviremos nossa musica predileta ?
Em quantas oportunidades mais poderemos admirar a lua cheia ?
Em quantas novas ocasiões encontraremos aquela pessoa especial ?
Até quando poderemos adiar:
O que se tem para realizar ?
O que se tem para dizer ?
O que só a nós cabe fazer ?
Em segundos, minutos, horas, dias, meses e anos
O tempo vai passando !
De que forma isso acontecerá em nossas vidas ?
Como quem não quer nada ? Ou como quem quer tudo ?
Nem sempre percebemos o valor de um momento
Negligentes deixamos escapar oportunidades únicas
Um grande amor que nos acena
Uma bela paisagem que nos chama
A felicidade que bate a nossa porta
Uma mão estendida que nos solicita
O milagre da existência desfilando imponente
Diante de nossos olhos distraídos!
A diferença se faz presente nos detalhes
Em nossa capacidade de enxergar e amar
Tudo aquilo que o superficial não alcança !

sábado, 18 de setembro de 2010

Jimi Hendrix, Rock & Contracultura


IN MEMORY Of JIMI HENDRIX
(Sergio de Carvalho) 18/09/2010

Confesso que mesmo tendo descoberto os encantos do roquenrol desde muito cedo e me tornado um apaixonado por este gênero musical , demorei um pouco a vislumbrar toda a genialidade da obra de Jimi Hendrix.
Logo no comecinho dos anos 70, meu irmão Carlos apareceu com 3 discos extremamente instigantes em nossa casa: Band Of Gypsys e Woodstock (triplo e duplo).
Naqueles tempos só se falava num tal guitarrista americano que “literalmente” incendiou sua própria guitarra durante um show e que chapava a cuca de milhões de pessoas ao redor do mundo com seu som poderoso, inovador e lisérgico.
Pois bem, ainda que suas inegáveis habilidades com a guitarra saltassem aos olhos e aos ouvidos, em muitos momentos após ouvir o conteúdo daqueles LPs com a performance do Hendrix, achava tudo aquilo muito barulhento, distorcido, louco e provavelmente vanguarda demais para minha cabeça de adolescente acostumado a ouvir os primeiros discos bem comportados e palatáveis dos Beatles.
Hendrix chegou no meu toca-discos de forma completamente avassaladora, a maioria das musicas são pura pauleira. Da sua guitarra (extensão eletrônica da sua cabeça) saiam tempestades de solos e timbres numa absurda massa sonora gerando um tremendo impacto nos meus ouvidos . Totalmente “crazy” bixoooooooo!!!!!!!!!
Era impossivel permanecer indiferente diante de toda aquela pressão sonora do power trio que em todas as suas formações seja com Mitch Mitchel ou Buddy Miles (nas baquetas) ou Noel Reding e Billy Cox (completando a cozinha no baixo) exploravam limites da tecnica e improvisação musical jamais ouvidos !
Junto com o som surgiam questionamentos existenciais e estranhos sentimentos que começavam a direcionar meus primeiros passos para uma compreensão mais ampla e profunda da função de Jimi Hendrix, do rock e da contracultura no mundo.
Toda aquela aparente loucura dos hippies captadas, traduzidas e sonorizadas pelas 6 cordas do Jimi, tinham um propósito alquímico que iria sacudir, abalar, quebrar e transformar muitos dos padrões “caretas” do sistema” com suas estruturas opressoras e egocêntricas tão bem representadas na época pela insanidade da guerra do Vietnã .
Antes de serem absorvidos pela sociedade e virarem mais um modisto passageiro, as roupas coloridas e os cabelos longos da rapaziada foram durante algum tempo autênticos distintivos ideologicos da tribo ou daquilo que se chamou “Nação Woodstock” . Juntamente com o visual, o som e o lema “Faça Amor Não Faça a Guerra” , a Beat Generation afrontava o velho mundo de peito e almas abertas.

Assim com a mente fervilhando, me via no meio daquele fogo cruzado entre o estilo alternativo que eu queria vivenciar inspirado por aquela trilha sonora poderosa e viajante e as propostas da sociedade dentro dos chamados padrões de normalidade simbolizados pelos encarcerados dentro de algum escritório.
Mais tarde acabei optando mesmo por seguir meu coração, fazendo o que eu gosto, tocar, pintar e morar junto a natureza.

Apesar de passados tantos anos e de importantes progressos da humanidade, até hoje aquelas mesmas mensagens de paz e amor de outrora continuam eloqüentes e importantes , pois infelizmente ainda encontramos ao nosso redor situações lamentáveis que continuam a penalizar a população e especialmente a violentar pessoas sensíveis, sonhadoras e idealistas que assim como nos anos 60/70 acreditam na fraternidade universal entre os povos e procuram celebrar a vida de um modo mais pacifico, espiritual e harmonioso de ser.

Em tempos sem internet, recebi com atrazo e tristeza a noticia sobre a morte de JImi Hendrix em 18 de Setembro de 1970 ao ler uma reportagem na extinta revista Manchete….naquele instante percebi com um certo vazio de que algo importante para a musica e para o mundo acabava de acontecer.

Seu corpo se foi, mas sua musica revolucionaria jamais sera esquecida!
A vitória da arte sobre as drogas!


Viva Jimi Hendrix. Viva o Poder da Alma, viva o Poder do Amor !

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

FLOR MIDAVEL




FLOR MIDAVEL(Sergio de Carvalho) 8/09/2010

A natureza colocou no mundo
Uma criatura graciosa e formidável
Seja brotando selvagem e livre pelos campos
Ou enfeitando com seu divino colorido nossos vasos e jardins
Tão majestosa quanto delicada
Mensageira vegetal da sensibilidade humana
Traduzindo gestos de carinho e paixão
Livro romântico escrito pelos enamorados em suas pétalas
Símbolo místico presente em altares e templos sagrados
Marcando presença na alegria de uma festa
Ou no luto de uma partida
Em diversas cores e formas
Espalhando beleza e perfume em nosso planeta
Companheiras silenciosas enfeitando nosso caminho.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Ondas



ONDAS (Sergio de Carvalho) 6/09/2010
Somos ondas diferentes
Do mesmo Oceano
Grandes ou pequenas
Rasas ou profundas
Pacificas ou revoltas
Uma após a outra
Subindo e descendo
Esvaziando e enchendo
Diminuindo e crescendo
Indo e voltando
No balanço do mar
Nas cíclicas mutações da existência,
Somos ondas diferentes
Do mesmo Oceano.

domingo, 29 de agosto de 2010

Duvidas


DÚVIDAS (Sergio de Carvalho)

O que comer ? O que beber ?
Dietas ou prazer ?
O que vestir ? O que calçar ?
Modismos ou bem estar ?
O que comprar? Onde gastar ?
Como administrar ?
Trabalho ou lazer ?
Opção ou necessidade ?
Censura ou liberdade ?
Onde morar ? Para onde seguir ?
Caminhar lentamente no ritmo da roça
degustando o verde sinfônico da floresta,
ou na velocidade do asfalto
entalado com o barulho cinzento do concreto ?
É preciso escolher, saber querer !
Apenas ficar, namorar, juntar ou casar ?
Aventura passageira ou roteiro para uma vida inteira ?
Desejos, impulsos, devaneios, emoção,
afinidades, ideologias, atração fatal,
amizade, tesão, amor e paixão !
Tudo isso junto ao mesmo tempo agora,
ou cada coisa em seu lugar e hora ?
Ficar aqui ou ir pra lá...em cima do muro é difícil equilibrar !
Talvez muito cedo ou quem sabe nunca seja tarde !
Consultando o ceu, o sol a lua e as estrelas a procura de direção !
Medos, receios, convicções... de nada ou de tudo
Questionamento cruel !
Com gosto de mel ou sabor de fel ?
Encruzilhadas do coração !
Interrogações da mente e da alma !
Discernimento, livre arbítrio e decisão !
Duvidas do cotidiano que diminuem ou crescem de acordo com a situação.
Duram só um momento ou se arrastam como um tormento.
Quem somos, de onde viemos e para onde vamos ?
Desvendando todos os mistérios
Sonhos, enigmas e soluções !
As respostas podem estar soprando com o vento.
Seja na terra ou em qualquer lugar.
Talvez do lado de fora !
Ou na essência bem lá no fundo,
onde Deus habita desde o principio do nosso mundo !
Felizmente na vida não ficamos apenas
Entregues a duvidas, problemas e a própria sorte
Existem outras certezas alem da morte.
O Amor é a mais sublime e providencial de todas as verdades!

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

MEMORIAS DA JUVENTUDE


MEMORIAS DA JUVENTUDE (Sergio de Carvalho) 27/08/2010
Movido a Beatles ,Stones & Contracultura, nos tempos do ginásio chegava cedo na sala de aula antes de todos os alunos, só para escrever furtivamente no quadro negro uma frase altamente perigosa e comprometedora: “Abaixo a Ditadura”...
O professor(a) quando adentrava a sala, ficava silenciosamente alarmado diante daquela atitude audaciosa efetuada no anonimato por algum pupilo seu.
E como recriminar aqueles sonhos inocentes de um mundo pleno de igualdade e fraternidade ?
Prontamente a mensagem era apagada pelo educador (ainda que ideologicamente pensasse da mesma forma ) como se aquela breve frase fosse um terrível mal a ser expurgado e que poderia até mesmo lhe custar o emprego e drástica punição ao aluno rebelde.
Pois bem, quem vivenciou sabe como funcionavam as coisas naquela época onde tudo era suspeito, tudo rigorosamente controlado, vigiado, censurado.
Letras e musicas proibidas aos montes, discos, revistas, zines e livros de conteúdo tido como ameaçadores ao sistema repressor eram combatidos como pragas indesejáveis.
O foco prioritario a ser combatido não era o trafico, mas sim contra quem tivesse uma visão diferente daquelas impostas pelos milicos. Raciocinar, refletir e questionar eram crimes !
Cabeludos de jeans e roupas coloridas, estudantes, escritores, filósofos, músicos, poetas, anarquistas e todos aqueles que de alguma forma fossem pegos propagando mensagens libertarias e de protesto poderiam ser severamente punidos e tirados de circulação.
Lembro de um amigo que foi preso simplesmente por ter um visual hippie, não usava drogas, nunca pegou em arma, nunca roubou, nunca fez qualquer tipo de mal a quem quer que seja; só queria tocar seu instrumento, confeccionar seu artesanato e viver na paz e no amor com tudo e com todos. Certo dia andando na rua, o camburão parou e o jogou na caçamba. Na delegacia cortaram seu cabelo com tesoura de aparar grama ferindo com estupidez e brutalidade sua cabeça e sua alma....felizmente foi solto e continuou firme com o pé na estrada !
Deixando a barra pesada de lado, outras lembranças significativas e essencialmente lúdicas foram das primeiras experiências com as paqueras e namoros. O rapaz quando se interessava pela garota, os referenciais em geral não eram bundas, peitos, músculos, altura, largura, pesos e medidas, nem a grana ou posses materiais , mas sim e principalmente o conteúdo, a sensibilidade, o olhar, as afinidades, os interesses culturais, o bom papo e demais qualidades do caráter que atualmente parecem ter sido relegadas a um museu de sonhadores resistentes.
O ritual que antecedia o namoro era o culto sagrado da paquera. Os interessados invariavelmente depositavam em cartinhas ( cuidadosamente escritas a mão com caneta esferográfica em folhas de caderno) suas declarações de amor . Quando a timidez superava o desejo, solicitava-se algum amigo entregar a missiva, para posteriormente ficar-se aguardando ansiosamente o retorno oral ou igualmente escrito da amada na esperança de receber o sim da conquista consumada.
Havendo interesse recíproco, começava então um conto de fadas de romantismo e paixão:A espera na saída do colégio, o passeio de mãos dadas, os beijos no escurinho do cinema, a expectativa pela aprovação da família; os horários a serem cumpridos para se chegar em casa; a inexperiência sexual a ser testada, os perfumes que passavam de um para o outro, as musicas lentas nas festas e boates que propiciavam danças coladinhas. As aventuras mais ousadas e arriscadas eram os “piços” (sarros) noturnos na penumbra de algum muro na esquina de casa...Amor e Sexo ocupavam um unico e mesmo espaço na vida do jovem casal.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

IDENTIDADE


IDENTIDADE * Sergio de Carvalho (12/08/2010)

Na natureza nenhuma folha se repete.
Entre as pessoas não existem duas impressões digitais iguais em todo mundo.
Por isso o polegar tornou-se simbolo da nossa identidade social.
De forma mais ampla, cada ser humano é único em sua alma, em seu corpo, pensamentos, sentimentos e estagio evolutivo.
Todos merecem respeito em suas diferenças e particularidades.
Cada qual a seu modo, possui seu valor e função na existência, como tijolinhos vivos na construção da grande obra do Criador!
Acredito que algum dia os seres humanos e todas as criaturas do planeta Terra viverão em paz e harmonia, tornando-se unos no amor e na fraternidade universal .

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Pensamentos


PENSAMENTOS (Sergio de Carvalho)
O pensamento é nosso território sagrado
Oculto aos olhos do mundo
Livre de censuras e limites
Para o pensamento tudo é possível e permitido
Viajamos para onde queremos
Através dele chegamos a lugares, pessoas e situações
Que tememos e evitamos, que desejamos e amamos,
Alguns destes pensamentos tocam a realidade
São perfeitamente viáveis para serem realizados
Outros são exclusivamente lúdicos e fantasiosos
Alguns improváveis e até mesmo aparentemente inacessíveis
Mas em todos os casos, não devemos subestimar a força do pensamento
Pois o pensamento assim como a fé remove montanhas
Pelo pensamento conversamos conosco mesmos, na mais profunda intimidade
Dizendo coisas que só mesmo nos próprios entendemos:
Nossas loucuras, paixões e ideais
Nossos amores, nossos valores
Nossos afetos e desafetos
Nossas magoas, frustrações e tristezas
Nossas alegrias, nossos desejos, nossos sonhos
Nosso tesão e nossos prazeres
Muitas das vezes inconfessáveis publicamente.
Mas o pensamento é assim
Sem freios, sem regras, sem limites
É propriedade exclusivamente nossa
Onde extravasamos internamente tudo o que verdadeiramente somos
Sem mascaras nem farsas
Através dele, permitimos a nudez integral
De corpo, alma e coração
O pensamento é nosso espelho onde o discernimento e o livre arbítrio
Determinam nossas escolhas na vida
O pensamento é o juiz invisível que ora nos condena ora nos absolve
Assim feliz daqueles que com sabedoria dirigem seus pensamentos
Para que eles sejam sempre os melhores possíveis
Luminosos e totalmente para o bem!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Janelas da Alma


JANELAS DA ALMA (Sergio de Carvalho)

Olhar profundo contém

Segredos e sonhos de quem sabe ver

Nele abrem-se as janelas da alma

Mostrando lá no fundo

Quem habita nosso mundo

Pode ser uma estrela

Um livro, uma musica, uma conquista

Uma dor, uma cor, uma flor

Ou mesmo um grande amor a vista

Através dos olhos penetram os momentos

Que fazem parte da nossa vida

Dos mais simples aos mais intensos sentimentos.

A iluminar a visão

Que enxerga com o coração!

domingo, 18 de julho de 2010

Conteudo !


CONTEUDO (Sergio de Carvalho)
Amor

Verdade
Esperança
Paz
Consciencia
Ideais
Saude
Perseverança
Amizade
Tolerancia
Perdão
Bondade
Cumplicidade
Trabalho
Artes
Musica
Cultura
Compaixão
Altruismo
Sinceridade
Natureza
Fraternidade
Espiritualidade
Jesus Cristo
Deus

Escolhas


ESCOLHAS (Sergio de Carvalho) 13/07/2010

Através do universal direito conferido pelo livre arbítrio
Procuro fazer minhas escolhas!
O que eu quero e não quero na minha vida!

O lugar de morar
Pessoas para conviver
Trabalhos a realizar.

Recuso-me a devastadora contaminação:
Do sistemão esmagador de consciências
Do noticiário nefasto que polui a mente
Das substancias que destroem o corpo
Da mediocridade vigente que entorpece o coração
Da barulhada urbana inimiga da paz
Da substituição do ser humano pela maquina
Da falta de respeito pela natureza
Do materialismo insano
Da ausência de amor e fraternidade na terra.

Em tudo quero estar
Sempre pronto a
Discernir para decidir
Entender antes de aceitar
Aprender para evoluir
Com todas as coisas, atos e fatos na caminhada .

terça-feira, 29 de junho de 2010


PANGARÉ (Sergio de Carvalho) * 30/06/2010

Nobre animal trabalhador,
Que não frequenta Haras,
Nunca provou alfafa,
nem remedios de doutor.

Vive puxando carroça
Pesada e com sol a pino no lombo
Segue pelo asfalto quente cheio de carros e fumaça.

Você não deveria estar nesse lugar
Mas sim correndo pelos campos
Comendo a verde relva
Relinchando com a família
Tua casa é na roça
Passeando com teu dono por uma estradinha de terra.

Pangaré resignado
Enquanto carregas teu fardo pelas ruas da cidade,
Ferradura gasta, pingando suor e dor pelo corpo
Rogo a Deus que te proteja
E inspire a quem serves
A tratá-lo com amor, respeito, gratidão
boa comida e repouso merecido !

segunda-feira, 28 de junho de 2010


PET NOS PÉS (Sergio de Carvalho) * 28/06/2010


A criatividade da necessidade
Aproveita recursos que o sistema joga no lixo
Enquanto poucos esbanjam
Muitos nada tem
Benditas sandálias de plástico descartável
Que nos mostram um outro mundo
Pés empoeirados de pobreza e humildade
Que deveriam comover
Até os corações mais endurecidos
Que deveriam nos fazer pensar
E com outro olhar
Abrir nossos armários abarrotados de calçados
Que não precisamos
E tão pouco usamos
Para doar é preciso amar
Compreender que :
O que nos sobra
É o que falta para o próximo!


CUPIDO DOIDÃO ( Sergio de Carvalho ) 28/06/2010
Cupidos psicodélicos,
Que enviam flechadas muito loucas.
Parece que tomam alguma droga !
Procurando atingir o alvo,
Atiram pro lado errado.
Sorte é encontrá-los sóbrios
Mirando certo no centro
Do amor desejado.

quarta-feira, 23 de junho de 2010


A LENDA DA BOLACHA PRETA (Sergio de Carvalho ) * 23/06/2010
Era triste quando o disco predileto arranhava e ficava pulando!
Arranhou não tinha concerto. Mas havia um “truque” de se colocar uma “moedinha” no braço da vitrola para fazer peso e evitar a repetição ou o pulo no trecho arranhado da musica
Se a agulha do toca-discos não fosse de diamante (será que era de diamante mesmo?), não durava muito e também com o desgaste podia até danificar o vinil.
Geralmente alguns modelos de “Pick-Ups” possuíam uma engrenagem automática onde se colocava vários discos empilhados em cima do prato suspensos e presos numa haste metálica central, que ia soltando os discos um a um assim que o anterior terminava de tocar. Essa tecnologia atualmente pode soar como pré-histórica, mas na época era super funcional e moderníssima e permitia musica tocando durante algumas horas.
Maior corta barato era a necessidade de ficar trocando o lado A pelo B e vice-versa toda vez que uma das faces do disco chegava ao final.
A rotação dos toca-discos no Brasil era sempre de 33/7 para compactos e LPs, mas os compactos importados alem da diferença na rotação que era de 45 rpm possuíam também a particularidade do buraco central ser maior e necessitar de um adaptador para ser tocado.
Nas lojas de discos vendiam uma espécie de Kit para o vinil, contendo um frasco com um liquido de limpeza e uma almofadinha para passar nos discos....Obs: nunca soube do que se tratava aquele liquido e nem se resolvia mesmo!
Recomendava-se também em situações mais drásticas de sujeira na superfície do disco, tais como pó entranhado e marcas engorduradas de dedo , colocá-lo embaixo da torneira e com uma esponja de cozinha e sabão neutro esfregá-lo suavemente no sentido da rotação dos sulcos, para depois deixá-lo secar somente na sombra e nunca no sol, que invariavelmente empenava até discos na capa.
O indevido armazenamento dos LPs também causava vários problemas de empenamento e até poderiam quebrar quando eram empileirados um em cima do outro. O correto era colocá-los nas prateleiras lado a lado!
Comprei alguns discos pelo visual da capa...alias quem não fez isso ? Quando o conteúdo sonoro também correspondia à beleza do invólucro, era a glória total, pois som e imagem se completavam para o deleite dos fãs.
Rolava sempre uma curiosidade em ver a cara dos músicos seja nos encartes ou nas capas, pois naqueles tempos raramente tínhamos acesso a imagens dos integrantes das bandas.
A capa com os desenhos e as fotos sempre chamavam atenção, mas a ficha técnica do disco era solenemente ignorada. Para o ouvinte comum o grande lance era apenas “viajar” no som, numa festa, num clube, numa Boate, no quarto, com luz negra e incensos acesos, dançando ou parado, sozinho ou bem acompanhado dos amigos ou da namorada. Bastava colocar o disco pra tocar, aumentar o volume e curtir o som. Não importava qual estúdio o disco foi gravado, nem quantos canais foram usados, engenheiros de som, produtores, marca de instrumentos e nem mesmo as letras e os músicos integrantes da banda (geralmente tais informações interessavam apenas a jornalistas, críticos, músicos e aficionados ).
Dentro da capa, o vinil apresentava outro invólucro de proteção, que poderia ser de papel ou de um plástico bem fininho (que rasgava fácil).
A qualidade do som dos discos importados era muito melhor do que a sua edição nacional. Aqui no Brasil mutilava-se o disco. Excluia-se faixas e até álbuns inteiros nas edições nacionais. Muitos LPs duplos foram lançados simples e muitas capas também foram drasticamente modificadas.
Tudo isso hoje virou história! As ultimas fabricas de vinil agonizam e cada vez mais o uso e aquisição dos tradicionais discos são exclusividade de alguns poucos colecionadores e saudosistas que garimpam em sebos e nas facilidades da Net a sua bolacha preferida.

terça-feira, 22 de junho de 2010

GERASOM INS- PIRADA


GERASOM INS- PIRADA
O toque da musica tocou,
Mentes, almas e corações
Para quem soube ouvir
Entender e a cuca abrir
O som dos pioneiros despertou!

Beatles; Rolling Stones; Janis Joplin; Jimi Hendrix; The Doors; The Who; Led Zeppelin; Joe Cocker; Santana; Allman Brothers; Johnny Winter; Pink Floyd; Yes; Jethro Tull; Ten Years After; Canned Heat; Jefferson Airplane; Grateful Dead; Bob Dylan; Crosby, Stills, Nash & Young; Traffic; Genesis; Camel; Focus; Richie Havens; Paul Butterfield; Creedence Clearwater Revival; Free; Humble Pie; Deep Purple; Trapeze; Status Quo; Alice Cooper; Velvet Underground; Uriah Heep; Black Sabbath; David Bowie; T.Rex; Moot The Hoople; Climax Blues Band; Mahavishnu Orchestra; Tangerine Dream; Wishbone Ash; Soft Machine; Fleetwood Mac; Byrds; Lynyrd Skynyrd; John Sebastian; Arlo Guthrie; Country Joe; J.Geils Band; Slade; Rory Galagher; Robin Trower; Mountain; Steppenwolf; The Band; Jeff Beck; Eric Clapton; Badfinger; King Crimson; Atomic Rooster; Iron Butterfly; James Taylor; Cat Stevens; Rod Stewart; Carole King; America; Eagles; Bread; Stevie Wonder; James Brown; Sly & The Family Stone; Al Green; Jackson Five; Tower Of Power; The Isley Brothers; Ray Charles; Curtis mayfield; The Meters; Chuck Berry;Christie; Mike Oldifield; Chicago; Blind Faith; Emerson, Lake & Palmer; Mutantes; Terço; Som Nosso de Cada Dia; A Bolha; A Barca do Sol; Sá, Rodrix & Guarabira; Secos & Molhados; Modulo Mil; Vimana; Veludo; Bixo da Seda; Som Imaginário; Hermeto Paschoal; Egberto Gismonti; Karma; Moto Perpetuo; Novos Baianos; Clube da Esquina; Beto Guedes; Lô Borges; Milton Nascimento; Gil; Caetano; Gal; Bethania; Elis Regina; Jorge Ben; Macalé; Luiz Melodia; Tim Maia; Cassiano; Tom Zé; Sergio Sampaio; Guilherme Lamounier; Raul Seixas; Serguei; Made In Brazil; Patrulha do Espaço; Terreno Baldio; Lodo;Faia; Paulo Bagunça; Antonio Adolfo; Tom Jobin; João Gilberto; Ivan Lins; Paulinho da Viola; Jackson do Pandeiro; Alceu Valença; Zé Ramalho; Fagner; Quinteto Violado; Luiz Gonzaga; Belchior; Roberto & Erasmo Carlos; Fevers; Painel de Controle; Analfa; Big Boy; Ademir Lemos.....

segunda-feira, 21 de junho de 2010

DOCE VERDE LAR



DOCE VERDE LAR (Sergio de Carvalho)

Caminho que leva ao sitio
Minha roça e verde lar
Pedacinho de mundo
Natureza feliz e cantante ao redor
Montanhas sol e florestas
Cachoeiras córregos e nascentes
Frutas maduras e bicharada
Vida plena no ar.

O LEME DO BARCO


O LEME DO BARCO (Sergio de Carvalho)

Teria Deus nos criado com dois ouvidos e apenas uma boca, para que pudéssemos ouvir mais do que falar?
A língua é um pequeno órgão do corpo humano, que assim como o leme dum barco, tanto pode nos levar a águas mansas e boas de navegar ou inversamente a correntezas traiçoeiras, tempestades, ondas revoltas e até um drástico naufrágio.

Como é difícil dominar esse inquieto e falador pedacinho de carne dentro da nossa boca.
Que tentação irresistível é essa em querer criticar a tudo e a todos?
Que sabor misterioso é esse que tanto nos seduz em falar mal da vida alheia?

Em dietas alimentares a boca sofre severas vigilâncias quanto ao que nela entra... Mas será que também não deveríamos filtrar e restringir o que dela sai em função de nossa saúde espiritual?
A boca fala do que o coração esta cheio!
O que será que andamos apregoando por ai aos quatro cantos?
Nosso discurso tem sido compatível com nossa consciência?
É bem eloqüente a letra de certa musica quando diz: Se a gente falasse menos talvez compreendesse mais!
A maledicência e as ofensas tem sido um cancro a nos corroer cotidianamente e não percebemos o quanto de verdade existe naquele tradicional ditado popular relacionado aos humanos falantes: O peixe morre pela boca!

Em tempos de culto ao corpo, nas academias de ginástica, deveriam também existir exercícios específicos para nossa língua, para que não só pudéssemos aprimorar a saúde física como também a do nosso interior, treinando-a em não mais fofocar sobre a vida dos outros, não mais fazer do ouvido alheio um Penico para todo tipo de dejetos verbais, não mais incendiar o curso de nossa própria existência e dos irmãos de caminhada com todo tipo de falatório inútil e maledicente.


Talvez a doença mais simples de curar, mas ao mesmo tempo com as recomendações terapêuticas mais difíceis de seguir sejam as alusivas ao nosso aparelho fonador.

* Cultivar a sabedoria do silencio nos momentos adequados.
* Exercitar a salutar e benfazeja pratica do jejum de palavras maléficas.
* Refletir antes de falar!
* Não julgar para não ser julgado!

Pois, da mesma forma que de uma única fonte não brota água potável e água poluída, da fonte oral de onde jorram nossos pensamentos e sentimentos, deveriam também fluir somente aquilo que soma, que constrói, que ajuda, que edifique, que seja útil ao nosso próximo e a nós mesmos!


Quiçá chegue o dia em que deixaremos de usar de maneira tão imprudente esse nosso mais intimo e extraordinário veiculo de comunicação!

E que a discórdia e confusão da Babel gramatical onde a humanidade mergulhou seja finalmente vencida pela linguagem universal do AMOR.

BUSCA


BUSCA (Sergio de Carvalho )

Desejar o outro por seus atributos físicos
Tem seu valor!
Mas um valor relativo:
O vigor da carne um dia se vai,
e a terra faminta o devora.

Desejar o outro por suas posses materiais,
Tem seu valor,
Mas um valor relativo:
Os ladrões roubam,
E o tempo implacável sempre destrói!

Mas quando o que cativa esta alem
Do mundo das aparências,
Das mascaras, dos títulos, diplomas e documentos
A relação flerta com a transcendência.

Saber enxergar alem dos retratos na vitrine
Expandir a consciência até onde o coração alcança.
Tocar o céu com os pés no chão
Saboreando a vida a cada instante
Com gratidão e na plenitude do verdadeiro amor.

Onde estiver vosso tesouro
Lá também estará seu coração!

Que a libido humana
Caminhe rumo ao orgasmo cósmico
Das polaridades que se fundem
No êxtase tântrico que ilumina
Cada partícula do ser
Com as bênçãos eternas do Universo!

BOTA FOGO NO CORAÇÃO



BOTA FOGO NO CORAÇÃO (Sergio de Carvalho)

Graciosamente surgindo no céu
Uma Estrela chamada D`Alva
Anuncia com sua luz
O nascimento de um Fogo ardente
Que irá incendiar corações
Brilhar por todos os campos
Seduzir e enlouquecer os apaixonados torcedores.

Glorioso por natureza,
Mais que um Clube
Muito mais que um simples time de futebol
Um jeito diferente de ser, de sentir, de vibrar.

Planeta Vênus do Amor
Um nobre e intenso sentimento fará pulsar
No interior de todos aqueles que tiveram a honra
De serem escolhidos neste caminho de fartas emoções.

Em apenas duas cores
Sua lendária tradição se formou,
O Preto e o branco que traduzem
O Yin & Yang do Universo
Os opostos complementares
A integração e fraternidade dos Povos.

A Estrela de Cinco Pontas no emblema
A nos mostrar enigmaticamente
Como no célebre pentagrama de Da V inci
Toda eloqüência simbólica
Do ser humano iluminado.

Supersticiosos a toda prova
A eterna mística alvinegra de General Severiano
De coisas que só acontecem ao Botafogo.

Não temos a maior torcida,
Mas sim a glória dos eleitos.
Mesmo que de vez em quando
Padecentes no Paraíso.

Seja na alegria da vitória ou no sofrimento das adversidades
Ser botafoguense é um estado de graça,
Uma eterna benção,
É nunca desistir,
É carregar um astro do céu no peito,
No revigorante calor das chamas do teu nome,
Nosso imenso prazer!
Um facho de Luz!
Tua Estrela Solitária nos conduz!

VISÃO


VISÃO (Sergio de Carvalho)

O Universo te ensina
Mergulhe fundo no amor
A natureza é a vida
Arte Suprema do Autor
O ritmo quem determina é você
A musica da existência nunca para de tocar
É a trilha sonora que escolhemos antes mesmo de nascer.
Abaixe tuas armas
Largue as bengalas
Abra as algemas
Pulando os muros da ilusão
Para enxergar a realidade por traz das cenas
Transcendendo os limites
Que embotam tua visão
Lapidar para crescer
As lacunas que te afligem
Serão preenchidas com o saber.

DESAFIOS


DESAFIOS (Sergio de Carvalho)

Quero os desafios da rosa,
o sabor das caricias,
o encanto da prosa.
O êxtase da lua cheia,
a face radiante do sol.
Suspiros na ausência,
Transpiração ofegante na presença!
A visão do infinito !
A melodia da vida,
um belo hino.
Com trombetas anunciando,
A grande sinfonia do amor!

AINDA EXISTE ?


AINDA EXISTE ? (Sergio de Carvalho)

Será que atualmente alguém ainda se encanta e se apaixona por alguém:
Pela cabeça da pessoa? Por suas afinidades ideológicas e culturais? Pelos valores espirituais que cultiva? Pelos discos que ouvem? Pelo interesse no mesmo tipo de literatura? Por amarem a natureza? Pelas conversas inteligentes? Pelo simples prazer da companhia? Pelo gosto de escrever bilhetinhos e cartas confidenciais de amor? Pela generosidade do coração? Pelo ritual da conquista? Pelo outro ser diferente da massa? Para curtir um romance na varanda? Para desenhar um coração com as iniciais dos enamorados dentro ? Por um beijo roubado no escurinho do cinema? Para passear de mãos dadas na calçada? Pela educação e sensibilidade? Pela simplicidade? Pela qualidade das amizades cultivadas? Pelo conteúdo? Pelo "ser" e não pelo "ter" ?
Será que alguém ainda se interessa por alguém sem ficar de olho:
...na conta bancaria do outro? Na marca do carro? Na grife da roupa? No bairro e no tamanho da casa? No requinte e luxo dos restaurantes e ambientes freqüentados? Nos títulos, documentos e diplomas pendurados na parede? No valor do patrimônio? Nas bundas e peitos? No porte atlético? No status ostentado?
Será que ainda existem andarilhos nesta veloz estrada dos tempos modernos ?

QUESTIONARIO DO PEREGRINO


QUESTIONARIO DO PEREGRINO (Sergio de Carvalho)

Que tipo de bagagem
Pretendes levar?

Que tipo de combustível
Desejas usar?

Em que direção
Resolvestes seguir?

Que tipo de meta
Esperas alcançar?

KAMA


KAMA (Sergio de Carvalho)
Sempre seguindo adiante por entre trilhas e penhascos, atalhos e longas caminhadas, o roteiro é repleto de obstáculos, mas a meta do triunfo reina soberana.
Procurando vislumbrar os sinais que se anunciam num certo e conhecido horizonte, varias vezes perdido sob o frio desta neve de ficção que insiste em cair, cobrir e congelar o que restou dos sonhos de outrora.
Felizmente a brasa mesmo longe da fogueira não se apagou!
As chamas queimam mas também iluminam!
O comodismo é a tentação que pode tolher o crescimento e obscurecer a visão.
Percebo agora, que algo maravilhoso ocasionou esta misteriosa e inexplicável sacudidela nas entranhas do meu ser, que despudoradamente confesso, brada aos infinitos cantos do Universo as mais profundas e quiçá passageiras lacunas existentes bem no centro do peito.
Assim percebo que nem mesmo esse indesejado hiato que por hora assola a existência, arrefeceu a impetuosidade desta minha busca.
Feridas cicatrizadas pelo tempo, chagas reabertas por amargas lembranças assim como o sangue quente e vivo a jorrar de passados insucessos também servem de adubo e vão alimentando os jardins da alma que insistem em florescer onde nem tudo são flores, numa profusão de nuances e inebriantes aromas de um cio sedutor disseminado pelos ares.
Ouço ecos perdidos e distantes a repetir as mesmas lições de excessiva prudência, mas sinais de alerta não vão me deter!
O receio da fantasia não consegue eliminar a intensidade de um inquieto e destemido coração! A razão esbraveja furiosa quando ameaçada e destituída de seu soberano reinado.
A mente tenta em vão deter os arroubos incontidos da esperança, que está sempre a soltar as férteis rédeas da imaginação !
Velas ao vento, soprando numa mesma direção, mesmo sem o leme na mão a viagem começou!
Que presença bacana, inteligentemente linda, distinta, cheia de raça, dores e luta !
Na musica que ouço, na labuta do trabalho, nas divagações filosóficas, no merecido lazer e nos prazeres possíveis que uma fugaz encarnação podem proporcionar...a todo momento mergulho fundo neste sentimento encantado que me leva até vc !
Ao pular de cima do muro os véus de Maia se rasgarão!
Melhor assim, correr o risco de uma bombástica explosão do que esta fútil segurança ao abrigo da estagnação.
Tentando, sempre tentando, a catarse do êxtase é um prêmio cobiçado que só pode conseguir quem arrisca e não petisca!

Tesão rimando com solução !
O que seria da vida sem uma grande paixão!?

É esse furacão que me atropela, me joga de um lugar pro outro, me arrebenta, me alucina, me sacode, faz de mim o que quer e quando quiser...que me faz viver!

A casca é transitória , a realidade se esconde por traz das cenas e os tesouros invisíveis são eternos !

QUERO


QUERO (Sergio de Carvalho)

Quero entender a linguagem sem palavras
Quero enxergar a realidade sem espelhos
Quero andar no caminho sem bengalas.

Quero seguir a verdade
Colorir a paisagem
Alimentar a chama
Sem perder o fio da meada.

DIA LINDO DE SOL


DIA LINDO DE SOL (Sergio de Carvalho)

Dia lindo de sol
O céu azul me seduz
O mar curativo me chama
Solitária como eu, a bicicleta me convida.
Entre os conflitos interiores
e uma inesperada pane no sistema
Uma fada distante aparece
Com seus conselhos e sugestões
Incentivos eloqüentes
Sabedoria intuitiva de quem sabe das coisas
Enfaticamente me convence !
Sacudo a poeira
Abro as janelas do ser
Deixo a luz entrar
O corpo se anima
O coração se inflama !
O espirito proclama:
Pedala criatura, que pelo caminho
o vento dissolve os problemas e preocupações !
Certas bagagens são cargas inúteis que dificultam a jornada.
Quanto mais leve se fica, mais alto se voa!
A natureza oferece,
e realiza a todo instante
mágicas milagrosas
abençoando a vida
Para os que sabem enxergar
Para os que sabem amar
Para os que dominam a arte da existência!
Deus em todas as coisas
Amor no coração
E ....pernas pra que te quero ?
Me levem para a felicidade!!!

NAVEGANTES DO TEMPO

NAVEGANTES DO TEMPO ( Sergio de Carvalho)

Entra ano e sai ano... E o que muda para nós?
Será que só mudam os números, o calendário e nosso tempo de permanência física no planeta?
Todas as coisas passam e vão deixando rastros, marcas e ensinamentos, com diversas variantes nos índices de aproveitamento individual. .
Em quantas e quais situações precisamos estar mais atentos e nos esforçarmos para um melhor desempenho enquanto alunos na escola da vida?
Mais um ano se foi e um novo começa...
Nossa passagem pela Terra não é bem uma viagem de férias como muitos inadvertidamente tentam crer.
A labuta diária pela sobrevivência nos leva a uma incessante corrida atraz de dinheiro e do pão nosso de cada dia, pagamento de contas e aquisição de novas despezas, num circulo vicioso sem fim...essa tem sido a penosa realidade cotidiana da sociedade humana.
Em meio as festas de final de ano,procuramos ao menos esquecer um pouco disso tudo, relaxar e se divertir...afinal ninguém é de ferro.
Mas será que neste breve “recreio” repleto de fogos de artifícios, especiais de TV e champanhes geladas, ainda reservamos um tempinho para refletir sobre o lado espiritual da existência?
Existe espaço para lembrarmos de Deus ?
Que tipo de valores cultivamos e alimentamos o nosso ser ?
O que tem sido mais importante e prioritário em nossas vidas?

Onde estiver nosso tesouro, lá também estará o nosso coração!

Após as férias e festividades, a maioria retoma a rotina do trabalho seja de que forma for.
Nosso barco certamente vai continuar navegando em meio a tormentas e calmarias rumo a algum lugar.
Para os que não pretendem ficar perdidos a deriva, o leme deve estar firme e seguro nas mãos, com rumo traçado a frente e conscientes dos riscos, perigos, desvios e atalhos do trajeto!
Ao contrario, uma nau desgovernada que não sabe aonde vai, nenhum vento lhe favorecera, tendendo ao naufrágio.

“O pessimista irá queixar-se do vento,
O otimista vai ficar esperando que ele mude,
O realista ajusta as velas e segue em frente!”

TRILHA SONORA DO MUNDO



TRILHA SONORA DO MUNDO (Sergio de Carvalho) 6/06/2010
Musica no Céu, Musica na Terra
Musica tocando em todos os lados
Em cada passo no compasso da existência
Nos rituais sagrados da natureza
No brilho radiante do sol
No lado oculto da lua
Nos arranjos sinfônicos da floresta
No canto das cigarras abrindo o verão
No afinado timbre da bicharada
No vento que sopra nas arvores
Na chuva molhando o chão
No marejar das ondas, no ribombar do trovão
No bailado das aves; no silêncio colorido das flores
No radio ligado, no velho disco arranhado
Na pista de dança, no balanço que embala a festança.
Na voz que sussurra, no beijo estalado
Na pauleira do rock, no mantra da paz
Na canção que emociona, no som que satisfaz
Na balada suave, na guitarra veloz
No hino do clube, na torcida feroz.
Nos gemidos do sexo, no pulsar do coração,
Na alma que se eleva, no êxtase da oração
Nas palavras que alimentam, na linguagem do amor,
No vazio duma perda, no eloqüente ruído da dor.
Nas mudanças de tom, no toque profundo do som
Na imensa orquestra regida
Pelo divino autor de todas as formas de vida!

NAMORO


NAMORO (Sergio de Carvalho) 9/06/2010

Na esperança de te encontrar
Sonhando em te ver chegar.
Balançando na rede da varanda
Pensamentos viajantes
Imaginam cada detalhe:
Acariciando a pele da alma
Mãos que se tocam com calma
Grudados no escurinho do cinema
No portão de casa
Sentados na calçada
Curtindo o sol na praia,
Cantando pela estrada.
Ouvindo musicas no carro
Deitados na cama do quarto
Caminhando nas nuvens
Mergulhando na paisagem
Aromas inebriantes transportam
Sentimentos em forma de cheiro
As portas do templo se abrem
Para quem sabe amar.

POLITICA RELIGIÃO & FUTEBOL


POLITICA, RELIGIÃO & FUTEBOL ( Sergio de Carvalho ) 15/06/2010

Prudentemente reza o celebre ditado popular: “Política, Religião e Futebol não se discutem”!
Porem ninguém pode negar a importância dos três entre as nações ao redor do planeta.
Apesar da recomendação do antigo e famoso ditado, ainda encontramos com freqüência entre os homens, muitas e constantes discussões acaloradas em torno do tema, geralmente originarias de posturas e convicções radicais lamentáveis que levam o ser humano a cometer absurdos em nome de um time, de um deus e de doutrinas que separam pessoas, raças, países e classes sociais, promovendo inimizades, disputas, violência e os já tão freqüentes desastres ambientais, crises econômicas, fome, miséria e guerras sangrentas.
A mãe de todas essas discussões e brigas tem um nome: Ignorância!
E o pai chama-se: egoísmo
Os filhos atendem pelo nome de: inveja, preconceito, orgulho, ódio, vaidade e ganância.
As leis que vigoram na sociedade e os rótulos ostentados por cada cidadão devem estar sempre respaldados pelo respeito e amor ao próximo.
A fé deve andar de mãos dadas ao conhecimento.
O patriotismo respaldado pela consciência fraterna de que todos os seres possuem um mesmo e único Criador.
Façamos a nossa parte, pois a verdadeira e revolucionaria mudança começa sempre de dentro para fora!
A transformação do mundo começa em nosso quintal!

AGADOISÓ


AGADOISÓ ( Sergio de Carvalho ) 16/02/2010


Água pura que nasce de Deus
Na saga abençoada
Formando riachos e cachoeiras
Fluindo sem obstáculos
Irrigando a floresta
Matando a sede de bichos e plantas.
Correndo montanha abaixo
Até se juntar ao mar.

Engenhosa obra da natureza
Liquido dinâmico
Subindo aos céus
Descendo à terra
Purificando a existência do Planeta.

Que sua integridade seja eternamente preservada
Permitindo-nos sempre o prazer
Do saudável banho em teu seio
E dos goles prazerosos
Em teu sagrado e cristalino sangue incolor
Que diariamente fornece
A vida que corre em nossas veias.

ELO SAGRADO


ELO SAGRADO (Sergio de Carvalho)

As janelas do coração
Mostram novas cores a minha alma
Olho a paisagem por outro ângulo
Como se fosse a primeira vez
Toda natureza parece novidade
Bichos e plantas plenos de vida e luz
É Deus que tudo habita
Fazendo-se notar em cada ser
Em todo tempo e lugar.
Estupefato mergulho fundo
Na essência de mim mesmo
Tentando alcançar com a mente
O que somente o sentimento compreende.
Somos uma perfeita engenhosidade do Criador
Aqui estamos a todo instante
Chegando e partindo
Melhor seria sem bagagens pesadas
Que nos atrazam na caminhada
Muito tempo levamos
Até que a existência nos mostre
Que nascemos para o amor:

Amor de mel
Amor de fel
Amor de lua
Amor de rua
Amor do lar
Amor da estrada
Amor romântico
Amor de cântico
Amor paixão
Amor tesão
Amor sem nexo
Amor complexo
Amor no cio
Amor por um fio
Amor com tempo
Amor de vento
Amor fraterno
Amor eterno
Amor humano
Amor de outro plano
Amor sexual
Amor espiritual

Amor de gente
Amor de bicho
Amor de macho
Amor de fêmea

Amor divino nosso elo sagrado
Que a tudo penetra
Por ele buscamos, nos movemos, vivemos e temos o ser.

MUSA

MUSA ! (Sergio de Carvalho) 1/03/2010

Precioso combustível que movimenta meus anseios!
Divina arte, que colore as mais lindas paisagens no meu coração!
Inspiração diária que alimenta meus sonhos e ideais!
Fonte caudalosa que abastece os mananciais dos meus desejos!
Perfume inebriante que me seduz com emoção!
Beijos inflamados incendiando a imaginação
Musica pulsante,
Cio ardente,
Amor guloso em alta voltagem.
Toques e caricias que arrepiam a pele e a alma
Presença vital que me faz seguir adiante
Bálsamo curativo que alivia as topadas no caminho!
Musa linda
Mulher apaixonante
As portas estão abertas
Para entrar e ser amada basta querer!

LÁGRIMAS INVISIVEIS


LAGRIMAS INVISIVEIS
(Sergio de Carvalho)

MESMO CONTIDAS QUANDO NÃO ESCORREM PELA FACE,
FAZEM GERMINAR SEMENTES NO CORAÇÃO.

AINDA QUE OS OLHOS APENAS UMEDEÇAM,
ESTARÃO FECUNDANDO A ARIDEZ DO DESERTO.

E ATÉ MESMO QUANDO INSISTEM EM PINGAR A DOR,
O DIVINO JARDINEIRO ESTARA CUIDANDO DO NOSSO JARDIM INTERIOR.

INTEGRAL

INTEGRAL
(Sergio de Carvalho)

Tudo que for sincero
Ainda que ninguém saiba
Terá a força da verdade.

Tudo que não é fachada
Ainda que oculto no anonimato
Terá o sucesso da integridade.

Tudo que é de verdade
Ainda que longe dos holofotes
Nem o tempo pode apagar!.

Agir corretamente é sempre melhor que criticar!

VIRA-LATAS


VIRA-LATAS (Sergio de Carvalho)

Nascido ao relento
Sem raça nem pedigree
Sem coleira que o aprisione
Perambula solitário e pulguento.

Enxotado por onde passava
Expulso de todo lugar
Feridas pelo corpo
A rua é seu lar.

Banhos só de chuva
Perfumes nem pensar
Vivendo de milagres
Caindo do céu como uma luva!

Revirando latas pelo chão
Catando restos no lixo
Vai sobrevivendo como pode
Sem nunca ter comido ração.

Arrasta-se pelas calçadas
Doente e magricelo
Olhar comovente
Em busca de uma morada.

Quando o fim parecia chegar
Inerte no chão estendido
Eis que alguém se aproxima
Oferecendo-lhe comida e abrigo.

Sua vida desde então mudou
Nada mais lembra aquele cãozinho moribundo
Agora feliz e bem tratado
Nunca mais chorou.

Ao seu benfeitor gratidão eterna
Com o mais puro afeto
Fidelidade a toda prova
Amor incondicional alem da terra.


AMOR NÃO TEM RAÇA ! ADOTE UM VIRA-LATA !

A CABRA


A CABRA (Sergio de Carvalho)

Caprino caprichoso,
Rústico e tinhoso.
Bicho cabreiro,
Que corre ligeiro.
Cabra da peste,
Não tem cerca que a cerque.
Cabra da montanha,
Sapeca esperta e cheia de manha.
Herbívoro voraz,
Que adora sol, frutas, capim e tudo que faz!
Mãe dedicada e contente,
Amamentando os seus e os filhos da gente.


* A estes animais a minha gratidão e homenagem pelos felizes anos de convivência no sitio e pelo alimento abençoado que nutriu o Francisco nos primeiro meses de vida!

A CONSCIÊNCIA E OS DOCES


A CONSCIÊNCIA E OS DOCES (Sergio de Carvalho)
Certa vez, uma mãe aflita procurou Ghandi e lhe pediu:
Por favor, senhor, fale com meu filho para ele não mais comer tantos doces como vem fazendo, os quais poderão lhe fazer muito mal.
O Mahatma então solicitou à mulher que lhe trouxesse o seu filhinho em nova ocasião num prazo de 30 dias.
A mãe, sem entender o porquê daquela recomendação, assim fez e depois de passados os 30 dias, levou novamente o pupilo em presença de Ghandi, que desta vez prontamente começou a adverti-lo quanto aquele habito considerado por sua mãe como perigoso para a saúde, explicando com paciência detalhadamente todos os motivos e conseqüências inerentes ao mesmo.
Dito isto, pediu na seqüência ao menino, com sua suavidade e determinação, para ele não mais comer os tais doces daquele jeito guloso e imprudente.
A mãe então intrigada, perguntou ao Mahatma porque não tivera tal atitude quando foi solicitado anteriormente há 30 dias atrás....o que ele sem titubear respondeu:
Prezada senhora, naquela ocasião eu também comia doces como seu filho, por isso primeiro foi necessário um tempo para que eu conseguisse parar de fazê-lo, para que somente assim coerentemente tivesse autoridade moral para atender o seu pedido.

Refletindo:
Quantos pais e mães pedem aos seus filhos para não fumarem, não beberem, não usarem drogas e nas suas próprias vidas inescrupulosamente fazem uso de tudo isso.
Quando também orientamos um ente querido ao atender o telefone ou campainha, para dizer que não estamos em casa, na verdade inadvertidamente cultivamos em nosso próprio lar o habito da mentira.
Quantas pessoas com hipocrisia e prepotência criticam e condenam os outros por fazerem fofocas e intrigas , se revoltam com atitudes desonestas e egoístas... sendo que elas próprias incorporam cotidianamente em suas vidas todas essas mazelas e mesquinharias humanas que tanto as escandalizam e reprovam com veemência!
Arvoram-se equivocadamente em juiz do próximo tendo como lema o infame ditado popular: Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço!
Melhor seria se ao invés de querermos tirar o cisco no olho do próximo, removêssemos primeiro a imensa trave em nossos próprios olhos!

A melhor maneira de se ensinar algo a alguém é pelo exemplo pessoal !

Devemos ser a transformação que desejamos para o mundo!

Cada segundo na Escola da Existência é único e precioso. Somente com muita humildade, vigilância, consciência, amor e auto-lapidação aprenderemos corretamente as lições!

TRANSIÇÃO

TRANSIÇÃO 2009/2010 (Sergio de Carvalho)

Em 2009 muito se falou na imprensa, no cinema, no trabalho, pelas ruas, nas rodas de bate-papo, em profecias e casos relacionados ao fim do mundo. Onde os Cavaleiros do Apocalipse e toda sorte de questões ambientais, cataclismos e tragédias que ameaçam a população por distúrbios da natureza andam ocupando a cabeça de muita gente.
Tal assunto não é novo, mas sempre assusta e gera polêmicas na medida em que cada vez mais a ficção e as especulações vão se aproximando e confundindo com a realidade.
Certamente todas as coisas materiais cumprem seu ciclo de existência no limitado e finito plano físico, não restando duvidas que o mundo tal qual o conhecemos um dia vai acabar... mas o fato é que esse dia e hora ninguém sabe!

Em nossa realidade diária, o ano que finda também foi palco de antigas mazelas com escândalos envolvendo políticos e policiais corruptos, revolta e insatisfação da população com os altos impostos, com o salário mínimo, com a precariedade dos Serviços Públicos, com o descaso das autoridades e todas as mesquinharias humanas, infelizmente tão presentes no cotidiano da sociedade.

A cada ano que passa, não mudam apenas os números do calendário, mas também o nosso próprio tempo de permanência no Planeta Terra.
Os mais conscientes, tiram proveito de todas as experiências vividas, estudam e aprendem as lições, aprimoram os valores, evoluem, ganham maturidade, repensam os rumos da caminhada, não deixam para depois o que podem fazer agora, estão sempre em busca de positivas realizações que lhes tragam felicidade!

Nascimento, juventude, velhice, doença e morte são aspectos inerentes a todos os seres vivos, sempre em constante mutação.
Nossa passagem pelo mundo é breve e não estamos aqui como numa viagem de férias.
Antes de retornarmos a nossa verdadeira origem na Pátria Espiritual precisamos arregaçar as mangas e cair dentro do trabalho que nos compete com responsabilidade e dedicação.
As vezes é difícil aceitar, mas tudo na vida é implacavelmente transitório!
Os encantos e prazeres do corpo material, dinheiro, poder, status, fama, títulos, cargos, diplomas e tantas outras coisas que tanto valorizamos, buscamos e nos apegamos, serão deixadas para traz após a nossa inevitável partida deste plano.
Onde estiver nosso tesouro, lá estará o nosso coração!

Em meio aos festejos do novo ano que se inicia, tentemos “achar” um tempinho para algumas reflexões quanto aos aspectos mais relevantes da nossa existência. Vamos mergulhar fundo em nós mesmos, nem que seja por alguns instantes, busquemos a nossa essência, vamos meditar, orar, vibrar positivamente não só para si próprio ou pelos entes queridos mas por toda humanidade.
Vamos fazer uma boa faxina em nosso interior, afinal não é apenas a ecologia externa que devemos praticar para “salvar” o planeta e a humanidade, mas sim e principalmente a ecologia intima, eliminando todo o lixo tóxico acumulado ao longo dos anos em nossas almas e corações.
Aproveitemos esse período de transição no calendário para mudarmos algo em nós mesmos!
Vamos jogar fora o egoísmo e a inveja, jogar fora a ganância, a falsidade, todo ódio e rancor, mágoas e ressentimentos, parar com as criticas e julgamentos, silenciar a maledicência, jogar fora tudo aquilo que torna pesada e dolorosa a nossa caminhada.
Que o inicio de um novo ano, renove nossos melhores e mais positivos sonhos, revigore nossas atitudes e nos traga muita disposição para que, mesmo em meio as adversidades, continuemos a ser um tijolinho na construção de um mundo melhor.

Fé em Deus, amor no coração e pé na tabua!

Seja você a transformação que desejas para o mundo!

VALORES


VALORES (Sergio de Carvalho) * 18/03/2010

Não sei o que é ser Cool nem “moderninho”
Não tô por dentro da onda
Nem da ultima parada.
Não freqüento roda de bacanas
Nem sei a melhor jogada.
Não acompanho novelas
Nem as retas da estrada
Não ando na moda
Nem a cata de novidades
O som que curto não toca nas rádios
Os sonhos que me alimentam
Não se encontram em prateleiras de Supermercados
Os valores que busco
Não se acham em contas bancarias.
Meu único estilo é ser eu mesmo
Sem boutiques nem retoques
Não guardo no armário mascaras de ocasião
De clones o mundo já ta cheio
Na ilusão das aparências
Caminha a humanidade
Cegos guiando cegos na escuridão da consciência
Quero apenas ser e estar
No lugar e com quem Deus mais quiser.

Jardim Secreto

Em teu olhar vislumbrei
A linguagem sem palavras
Que dizem tudo sem nada falar.
Através destas janelas
Que se abrem para a alma
Posso ver um lindo e secreto jardim
De Flores e aromas multicores.
Cultivadas no campo fértil do coração
Onde brotam saborosos frutos
e doces sabores de uma intensa paixão.

LEMBRANÇAS


LEMBRANÇAS ( Sergio de Carvalho )

Quero o aroma da paisagem
Recordar o perfume da beleza
Sentir o calor dos bons tempos
Reviver a imagem da pureza.

Não importa o tempo que passou
Quero seguir sonhando acordado
Com tudo aquilo que me fez bem
E meu coração tanto amou!

Tudo que aprendemos no mundo
São pérolas preciosas do viver
Sementes cultivadas no passado
Com sentimento profundo.

Não vivo alienado do presente
Mas sou fruto do que passei
Quero apenas com alegria reviver
Todo esse tesouro que na juventude provei.

ROSEIRA DO MEU JARDIM


ROSEIRA DO MEU JARDIM (Sergio de Carvalho)

Roseira querida, soberana rainha do meu jardim,
com todo carinho te cultivo,
com toda esperança te alimento,
que saibas aqui, amiga do peito,
que tua existência foi atrelada ao fim da minha passional peregrinação!
Que o sacrifício de vossa majestosa flor,
seja único para alguém que nos mereça!
Quando enfim vier te buscar,
saberás que encontrei a musa dos meus sonhos !
A sensual vivacidade da tua púrpura côr e o inebriante perfume de tuas pétalas
são o presente escolhido,
que para a amada vai traduzir,
a oculta linguagem da minha paixão
que singelamente se expressa em tuas formas !

IMAGENS QUE FALAM

IMAGENS QUE FALAM ! (Sergio de Carvalho)

Namoro suas fotos
Adoro teu sorriso
Mergulho nos teus olhos
Sentindo-me no Paraíso

Ah como queria
Agora te beijar
Sentir o teu calor
Ir alem do sonhar.

Segurar nas tuas mãos
Envolver-te nos meus braços
Sentir o teu perfume
Viajar perdido no espaço.

Comunhão de almas
Mexendo tudo aqui dentro
Linguagem sem palavras
Na plenitude do sentimento.

Mulher teu poder é força que reluz
Quero me entregar
Nos encantos dessa energia
Que tanto me seduz.

APRENDENDO A SER

APRENDENDO A SER (Sergio de Carvalho * 2/05/2010)
Comunhão que transcende palavras
Amor intenso muito além do momento
Coração pulsante saltando no peito
Mente desperta sacudindo a poeira
Vigilante e serena pra não pensar besteira
Discernimento apurado pra não agir errado
Consciência fraterna que não conhece fronteiras
Mergulhar fundo além da superfície do Mundo.

PRESENÇA

PRESENÇA (Sergio de Carvalho)

Meu coração pensa,
De forma irracional em você
Para o sentimento não existe razão
Bloqueios nem freios para conter
Os impulsos que me levam arrebatadoramente
A um lugar mágico que só o amor e a fé podem entender!

CERCAS EMBANDEIRADAS


CERCAS EMBANDEIRADAS (Sergio de Carvalho)

Nunca fui de direita nem de esquerda, nunca mergulhei nesse intrincado universo burocrático de politicagens partidárias que tem regido com suas limitadas e imperfeitas leis os rumos da humanidade.
Meu partido é não ter partido!
Nunca fui machista nem feminista, pois os valores que realmente importam não estão nas diferenças do corpo de homens e mulheres e sim no espírito imortal que habita em cada um..
Não sou a favor de brancos nem dos negros nem de qualquer outra raça ou nação.
Não entro nesse balaio de disputas insanas, baseada em aparências exteriores e demais situações transitórias que podem se inverter a cada novo ciclo da humanidade.
Consciência fraterna e universalista, não é ignorar a realidade cotidiana que nos cerca, não é ficar em cima do muro diante das injustiças sociais, nem ficar insensível com a dor alheia, mas sim conseguir enxergar por cima e além das cercas embandeiradas que separam nossos quintais, pois todos esses conceitos que tem levado o ser humano a gerar guerras sangrentas e uma constante luta de classes baseadas em todo tipo de discriminação quanto ao sexo, credo, política, poder, grana, status, nacionalidade, escolaridade, títulos, diplomas e documentos, sempre me soaram, como uma amarga ilusão que tem nos cegado a séculos, não nos deixando entender a verdadeira realidade por traz das cenas, que tanto nos tem bloqueado na superação de todas essas mesquinharias e mazelas humanas que a todos indistintamente escraviza!

Fico do lado de Deus que a tudo e a todos criou.
Fico do lado do discernimento, da fé e da esperança que são os refúgios mais seguros para nos abrigar diante dos cataclismos da existência!
Fico do lado de Jesus que foi o exemplo maior de como devemos nos relacionar com o mundo, fico do lado da arte, da musica, dos bichos, das plantas, das arvores, dos rios e oceanos, fico ao lado de toda natureza, fico do lado de todo ser humano que elegeu o amor como seu principal direcionamento de vida.

KD ?

KD ?
(Sergio de Carvalho)

PROCURO QUERENDO SABER
ONDE ESTA VOCE ?
PROCURO QUERENDO ENTENDER
A RAZÃO DO VIVER !
CAMINHO TENTANDO CHEGAR
NO REFUGIO DE ALGUM LUGAR
VISÃO PRA OLHAR
CONSCIENCIA PRA SABER ENXERGAR
CABEÇA PRA ANALISAR
CORAÇÃO PARA REALIZAR.

E DAÍ ?

E DAÍ ? ( Sergio de Carvalho ) * Janeiro 2010

Sou romântico sim, e daí?
Escrevendo cartinhas singelas de amor
Mergulhando na poesia das flores
Viajando pelo céu estrelado
Suspirando acordado com os momentos sonhados.

Sou sensível sim, e daí ?
Quero transbordar de emoção
Para amar e te fazer feliz
Ficar bobo de tanta paixão

Passear de mãos dadas
Apreciando a paisagem
Prazer de andar juntos
Para altos papos ou mesmo sem fazer nada.
Namorar em todo tempo e lugar
Na varanda, na cachoeira, na estrada
No carro, no quarto, na calçada.

Fogo ardente no centro do peito
Sublime magia de intensos sentimentos
Corpos enlaçados hormônios exaltados
Ebulição fervente no caldeirão da lua cheia

Inebriado com o perfume que emanas
Sem reservas a seus múltiplos encantos me entregar .

Quero este amor profundo
Infinito como o Universo
Na plenitude da união
Assim na terra como no céu!

O BEM NOS QUER

O BEM NOS QUER ! (Sergio de Carvalho)

Desde que o mal se fez presente em nosso mundo, sempre foi combatido por pessoas preocupadas e inconformadas com suas possibilidades de crescimento.
Mas infelizmente nos dias atuais tornou-se tão corriqueiro que chega a ser considerado “normal”, como se fosse uma realidade inexorável a qual ninguém escapa.
Através da mídia a sua existência tem invadido impiedosamente sem pedir licença a casa de todos, gerando ora indiferença (pelo efeito anestésico da banalidade) ou então uma gama infinita de medos e paranóias coletivas.
Andar pelas ruas desconfiando de tudo e de todos, achando que pode ser a próxima vitima, é mais que excesso de prudência, mas sim o sinal de uma epidemia típica do nosso século.
Quem vive mergulhado nos noticiários sensacionalistas e violentos do cotidiano, cultiva inadvertidamente ervas daninhas no seu jardim.
É tanta noticia ruim que a impressão que fica é de que o ser humano passou a ser sinônimo de ameaça pessoal, inimigos uns dos outros, depredador de sua própria espécie, uma praga devoradora do seu próprio Planeta.

Não é somente o aquecimento global que preocupa gerando cataclismos nunca dantes vistos, mas algo de muito errado esta acontecendo com a raça humana.

Pode parecer alienação ou algo parecido, mas o fato é que, evitar encher a cabeça e o coração com esse circulo vicioso de tragédias, crises e sofrimentos da sociedade humana, seja através da imprensa, da musica, do cinema, da Net e até mesmo em conversas com os amigos, passou a ser uma verdadeira necessidade para a preservação da saúde mental e emocional do individuo.
Não precisamos sair das grandes cidades para evitar a tal contaminação, mas precisamos sim saber usar a todo instante o filtro anti-baixo astral, peneirando e excluindo tudo que não for do bem !
Auto-estima é fundamental, jamais conseguiremos amar o próximo devidamente se antes disso não conseguirmos nos amar com respeito e profundidade.
Aquilo que mais alimentamos em nosso interior é o que mais ira crescer em nós.
Se quisermos mesmo que a paz cresça ao nosso redor, devemos em primeiro lugar prioriza-la em nossas próprias vidas, na intimidade do lar, no ambiente que nos cerca, no trabalho, no lazer, respeitando a natureza e todos os seres vivos.
Jamais devemos nos acomodar e acostumar com as coisas negativas da existência, mas ao invés disso, combater esse estado de calamidade publica da alma humana, sustentando sempre a positividade em nossos pensamentos, palavras, sentimentos e ações.
Melhor acender uma pequena luz que seja do que maldizer a escuridão.
Devemos nos tornar a mudança que desejamos para o mundo.
Todo movimento verdadeiro, convincente e duradouro começa sempre de dentro pra fora.
A principio tudo que acontece conosco e com o ambiente que vivemos, é de exclusiva responsabilidade nossa, cabendo a cada cidadão consciente fazer a sua parte, colaborando para a implantação de um mundo mais feliz, amoroso e fraterno.
Entre o “bem me quer” e o “mal me quer ”das pétalas da vida, que saibamos fazer escolhas certas através do bom uso do nosso livre-arbítrio.

SINFONIA CAMPESTRE

SINFONIA CAMPESTRE (Sergio de Carvalho )

Há pouco tempo atrás
Galos multicores cantavam
Tecendo as manhãs
Com a orquestra da paz.

O orvalho do céu inda caia
Quando os primeiros raios de sol
Iluminando chácaras e quintais
Com todo esplendor no horizonte surgia.

O Maestro Carijó
Anunciando a alvorada
A todos despertava
Regendo o coro da bicharada.

Iniciado o concerto
De quintal em quintal o canto espalhava
Muitas vozes juntas vibrando
Ouvindo o que as outras diziam.

Alegre cantoria do amanhecer
Trilha sonora de todos os campos
Liberdade ciscando os terreiros
Que nunca deveria se perder!.

FORMULAS PRONTAS

FÓRMULAS PRONTAS ( Sergio de Carvalho)

Assisto no mundo
A grande academia
Da ilusão transitória das formas.
Não sou aluno aplicado
Decorando formulas prontas do viver.
Não vivo debruçado
Em teorias mortas da salvação.
Não vivo copiando
Estereótipos do sistema.
Dou topada,
Caio mas não fico no chão
Meu negocio é o fim da estrada.

Conhecendo em marcha lenta
O ritmo frenético da existência.
De dentro pra fora
O conhecimento do todo
Em cima como embaixo
O segredo da Criação.